Post índice: o que fazer em Aruba e Curaçao

Aruba e Curaçao são duas ilhas onde é verão o ano inteiro! Esses dois lugares fazem parte das Ilhas ABC, que consiste em Aruba, Bonaire e Curaçao. Destinos que ficam aqui pertinho da gente, banhados pelo mar caribenho e o melhor de tudo: fora da rota dos furacões! \o/

Nós passamos dez dias entre as duas ilhas e conseguimos descansar bastante, mesmo com a agenda recheada de atividades. Neste post índice, além de colocar todas as publicações sobre as duas ilhas, também vou acrescentar informações sobre onde se hospedar e algumas dicas extras.

Aruba
Chegamos em Aruba e na primeira parte da viagem decidimos não nos hospedar na região hoteleira. Ficamos em um apart no bairro ao lado e, apesar de não ser um resort ou algo do tipo, nos atendeu muitíssimo bem. Como o transporte público da ilha funciona (com horários rígidos e ar condicionado), alugamos carro apenas por um dia, para ir até a Baby beach, que é uma das praias mais distantes.

Já na segunda etapa da viagem (quando voltamos de Curaçao), nós ficamos hospedados algumas noites no Renaissance Hotel, que é espetacular. Além de ter uma estrutura ótima, o Renaissance tem uma ilha particular e lá é cheia de flamingos! Só clicar no post e ver que lugar lindo!

Onde comer?
Aruba possui uma infraestrutura espetacular! Então além dos grandes nomes de marcas e restaurantes, também existem muitos outros restaurantes locais. A rua principal é repleta de opção que vai de Churrascaria a restaurante italiano e os valores variam muito, mas em média é possível almoçar ou jantar a partir de 15 dólares.

O que beber?
Acho que quem acompanha o blog já percebeu que somos cervejeiros, né? E por isso fomos visitar o Balashi Brewery Beer Garden, que fica na Fábrica desta que é a única cervejaria da ilha.

Apesar de termos ouvido falar muito bem do local, ela não nos pareceu tããão legal assim. Isso porque ele tinha acabado de inaugurar e além de estar sofrendo ajustes, poucos sabem que ele existe por ficar longe do centro. Hoje já se pode visitar a fábrica. Na minha opinião vale a visita se você for cervejeiro, se for apenas para conhecer, não sei se vale muito.

Balashi Beer Garden

Seguem os posts:

Pôr do sol em Malmok beach
Sunset, Aruba

Esticadinha de Arashi beach até California LighthouseArashi Beach, Aruba

A tranquilidade de Baby beach
Baby beach, Aruba

O incrível azul da Eagle Beach
Palm Beach, Aruba

Um dia na Flamingo beach, a ilha do Renaissance Hotel de Aruba que é repleta de flamingos 
Renaissance Aruba

Curaçao
Ah! Que ilha fantástica é Curaçao! Confesso que antes de visitar essa ilhota caribenha eu chegava a duvidar das fotos que eu via. Pensava: “ah tá que o mar é tão azul assim”! Mas não é que o mar é de uma cor tão espetacular que se botar filtro estraga?!

Geralmente as viagens se dividem entre Aruba e Curaçao e aí as pessoas acabam fazendo comparativos ruins. Explico: Aruba é uma ilha muito bem desenvolvida e com uma infraestrutura para ninguém botar defeito. Quase um parque temático ao estilo americano e, apesar dos esforços recentes de deixar a ilha mais turística, o desenvolvimento de Aruba ainda não chegou em Curaçao.

Mas, vou te contar um segredo um tanto polêmico: as praias de Curaçao são muito bem preservadas e conseguem ser ainda mais lindas que as de Aruba! E isso por si só já vale a visita!

Em Curaçao nos hospedamos no Marriott Beach Resort e foi uma ótima escolha! Além de lindo, o hotel conta com todas as comodidades que precisamos.

Marriott Curaçao

Marriott Curaçao

Como estávamos de carro, foi bem fácil partir de lá para todos os pontos turísticos. Como disse anteriormente, a infraestrutura da ilha não é das melhores, some isso com a distância das praias, então sim, alugar um carro é item quase que obrigatório para rodar por Curaçao!  Para ter uma ideia das distâncias, Porto Mari fica 24 km distante do hotel que nos hospedamos  (que está bem no centro) e a praia Cas Abao fica há mais de 30 km!

Discuti um pouco das distâncias e dei outras opções de transporte no post abaixo!

Port Marie e Cas Abao: as praias privadas mais bonitas de Curaçao Port Marie Beach, Curaçao

Punda e Otrobanda: o que fazer na capital de Curaçao Curaçao

Kenepa Grandi, uma das praias mais lindas de CuraçaoKenepa Grandi, Curaçao

Jantar ao pôr do sol no Waterfort Arches em CuraçaoWaterfort Arches, Curaçao

Um dia inteiro na paradisíaca ilha de Klein CuraçaoKlein Curaçao

Dicas extras

img_6464Como contei acima, somos viajantes cervejeiros e aproveitamos nossas trips para conhecer novos rótulos.

Assim como dei a dica (um tanto furada) de uma cervejaria em Aruba, também vou fazer isso por Curaçao: a Curaçao Brewing Company! E eu simplesmente AMEI esse lugar!

É a única uma cervejaria artesanal da ilha e de uma qualidade excelente! O espaço é amplo e além de cerveja da própria marca, eles têm muitas outras opções.

Vale e muito a pena passar lá para um chopinho (quem quiser pode trazer pra mim, tá??!! kk)

Medinho
Quem acompanha o blog sabe que eu tenho pavor de avião. Até já dediquei um post inteiro sobre isso que você pode ler aqui. Assim como eu, sei que outras pessoa têm medo de voar e quanto menor o avião, maior o medo. Por isso eu também fiz um post contando como foi o voo entre Aruba e Curaçao. Ele está disponível nesse link aqui.

É isso pessoal! Não se esqueçam de comentar os posts, isso ajuda o blog a ganhar vida, me orienta sobre as preferências de vocês e me estimula, pois a cada comentário fico muito feliz! Você também pode acompanhar a gente no Facebook e Instagram.

Que roupas usar para viajar durante o inverno?

Eu sei que em boa parte do Brasil quase não faz frio. Somos um país solar, onde em vários estados é verão praticamento o ano inteiro. E quando esfria, é aquele friozinho bobo que não te obriga a usar quilos e mais quilos de roupa (OK, sei que no Sul é diferente).

Atendendo a pedidos resolvi mostrar como me preparo para viajar durante o inverno. Mas lembrando, gente, que esta é a forma que melhor deu certo para mim. Para você talvez seja necessário mais ou menos roupas de frio ou até mesmo que você tenha um método melhor que esse para me ensinar (contem no comentário, por favor!! rs).

Valle Nevado, Chile

Bem, vamos lá! É super normal a gente ter uma mini crise de pânico por não saber que tipo de roupa usar quando viajamos no inverno para outros países. É neve, chuva, vento, temperatura abaixo de zero e muitas vezes tudo isso junto e misturado.

Quando chega a hora de fazer a mala bate aquele monte de dúvidas e aquele medo de passar frio te acompanha diariamente. E é aí que a gente pensa em comprar mil casacos e tudo mais que for quentinho para levar. E eu estou aqui para dizer: não! Não precisa fazer isso!

Para te ajudar, resolvi usar minha vivência em alguns outonos e invernos por esse mundão para escrever esse post dando ideias de como se proteger do frio da porra durante a viagem. Não se trata de um post ao estilo “Look do dia”, mas sim algo do tipo: “Vai por mim”! kkkk

E também eu resolvi usar fotos das minhas viagens para ilustrar o post. Achei melhor mostrar uma situação “vida real” do que mostrar só a foto do casaco ou imagens aleatórias da internet.

Casca de cebola
O “método” que mais deu certo para mim, foi o casca de cebola que consiste em usar uma camada de roupa por cima de outra camada (como uma cebola, dããã).  O truque é combinar peças que possam isolar e manter o calor no seu corpo quando você estiver na rua. Falo na rua porque as casas, hotéis, bares e restaurantes possuem calefação e muito provavelmente dentro dos estabelecimentos estará tão quente que você vai querer tirar ao menos uma ou duas dessas camadas.

É claro que também tudo depende do lugar para onde você está indo. Essas dicas serão mais úteis em uma temperatura entre -08C e 10 graus ou para quem estiver indo para boa parte da Europa e Estados Unidos.

Agora vamos ao que realmente interessa: como montar as camadas sem parecer o boneco da michelin (ou ao menos, vamos tentar não parecer).

Primeira camada: quente e confortável
Além da roupa de baixo, sugiro que use uma segunda pele. No meu caso, na parte de cima uso uma blusa de manga de malha bem justinha ao corpo. Sendo honesta, sinto que a malha ajuda mais a manter meu corpo quente do que muita blusa térmica. Mas isso é algo meu. Conversando com as amigas (pq mulher sente mais frio, né?), muitas preferem as blusas térmicas mesmo. Prove e escolha a sua.

Vittorio Emanuele

A blusa de malha dá a opção de, se ficar mais quentinho, tirar boa parte dos casacos.

Colosseo

Já na parte de baixo uso uma meia calça potente (do fio 80 para cima), uma leggin grossa ou ainda uma calça térmica. As três podem ter o mesmo efeito e são finas e bem grudadas ao corpo. Isso é legal porque dependendo do frio você pode usar mais de uma ou até mesmo antes do jeans (uso assim sempre).

Segunda camada: pulo do gato
Na parte de cima agora é hora de usar uma boa blusa de lã ou fleece. É nessa parte que a intensidade do frio vai dizer se você vai precisar de mais ou menos camadas. Se não estiver muito frio, você vai colocar OU a lã (e aí entra todo tipo de blusa: suéter, cardigã e etc) OU a blusa de fleece. Caso o frio seja intenso, pode usar os dois tranquilamente, porque a regra principal é não passar frio!

Na parte de baixo vale o que falei na primeira etapa: se usar uma meia potente, feita para o inverno mesmo, provavelmente estará tranquila. Mas se estiver muito frio, use mais de uma meia ou aliada com o jeans.

Na foto estou: com uma blusa de malha (tipo da foto 1) e uma blusa de lã, um pouco mais grossa.

Na foto estou: com uma blusa de malha (tipo da foto 1) e uma blusa de lã, um pouco mais grossa.

 Se ficar um pouco mais frio, além da blusa de algodão e de lã, jogue por cima um casaquinho de lã ou fleece.

Se ficar um pouco mais frio, além da blusa de algodão e de lã, jogue por cima um casaquinho de lã ou fleece.

Terceira camada
Agora é a hora de escolher bem o casaco (ou oS casacoS) que vai te acompanhar. O inverno geralmente tem essa equação: vento + chuva + neve e o seu último casaco precisa te proteger de tudo isso! Imagina aquele vento passando pela sua blusa e congelando até a espinha? Ou imagine ainda você brincar de Elsa na neve e depois ela derreter e te molhar inteira? Não queremos e nem podemos passar por isso, não é mesmo? Então escolha um casaco que de preferência seja impermeável. Se não for nevar/chover/molhar, um casaco de feltro já pode ajudar bastante.

É! Ferrou e o frio chegou de vez? Então não deixe de usar um casaco potente! Este é impermeável e resiste a chuva/vento.

É! Ferrou e o frio chegou de vez? Então não deixe de usar um casaco potente! Este é impermeável e resiste a chuva/vento.

Aqui um exemplo de casaco corta vento e impermeável para os homens.

Aqui um exemplo de casaco corta vento e impermeável para os homens.

Eu tenho gostado muito dos que são feitos com pluma de ganso: esquentam horrores e são incrivelmente leves (pesam poucos gramas, de tão leves). A desvantagem dele é que são de origem animal (penas de ganso, lembra?). Mas se você não quiser, os tradicionais revestidos de poliéster também funcionam muito bem!

Aqui exemplo de casaco com pluma de ganso. Ele é fino e esquenta MUITO!

Aqui exemplo de casaco com pluma de ganso. Ele é fino e esquenta MUITO!

Esse é um exemplo de casaco de feltro.

Esse é um exemplo de casaco de feltro.

Quarta camada: o charme
Não se esqueça de levar luvas, cachecol e touca. No caso dos dois últimos leve muitos! São eles que – além de te esquentar – vão renovar o look. Geralmente é nessa parte que costumo exagerar na hora de montar a mala. São os acessórios que vão dar todo um charme para aquele casaco preto/cinza da viagem e uma nova cara para a roupa já usada algumas vezes.

Cachecol caríssimo? Difícil de encontrar? Nãããão! Cachecol da Riachuelo mesmo!

Cachecol caríssimo? Difícil de encontrar? Nãããão! Cachecol da Riachuelo mesmo!

Combo: cachecol da marisa + gorro decathlon.

Combo: cachecol da marisa + gorro decathlon.

Vale quanto custa?
Sempre li que as roupas de frio aqui do Brasil não ‘aguentam’ o frio que faz no exterior. Pelo que já testei, essa informação não é de toda correta, mas é fato que o material utilizado em nossos casacos é bastante inferior ao utilizado nos casacos da gringa. Pensando na lógica das camadas de roupa, com um casaco daqui você precisaria usar uma ou duas camadas a mais do que usaria se estivesse vestindo um casaco vendido em um país que realmente faz frio. Mas que dá para usar os nossos. Isso dá!

Aqui um exemplo da diferença de preço e porque : essa bota alem de impermeável. tem solado de borracha e pelos dentro, o que ajuda a quecer. No Brasil custaria certamente mais de 200 reais. Eu paguei 14 euros na Itália.

Aqui um exemplo da diferença de preço e porque : essa bota alem de impermeável. tem solado de borracha e pelos dentro, o que ajuda a quecer. No Brasil custaria certamente mais de 200 reais. Eu paguei 14 euros na Itália.

Também gostaria de falar sobre o preço desses produtos. Aqui no Brasil, casacos, meias de lã ou blusa de fleece obviamente são mais caros. Por isso, uma dica legal é deixar para comprar algumas coisas no país que for visitar. Geralmente ótimos produtos são vendidos nas lojas de departamento mesmo e por preços bem em conta.

Onde comprar?
Aqui no Brasil também temos lojas nacionais especializadas em produtos de inverno que são ótimas e pra lá de confiáveis. São elas: Oficina de Inverno, Fiero e Benevento. Também já comprei produtos na Decahtlon e gosto muito do custo/benefício para peças simples como meias, calças segunda-pele e casacos de fleece.

Ufaa! É basicamente isso que aprendi viajando para o frio. Se você tiver alguma dúvida ou alguma dica, deixe aqui nos comentários! :*

É isso pessoal! Não se esqueçam de comentar os posts, isso ajuda o blog a ganhar vida, me orienta sobre as preferências de vocês e me estimula, pois a cada comentário fico muito feliz! Você também pode acompanhar a gente no Facebook e Instagram.

De mausoléu a residência Papal: saiba mais sobre o Castelo de Sant’Angelo

Castel SantAngeloLocalizado às margens do Rio Tibre em Roma (e pertinho do Vaticano) está outro monumento importante: o Castelo Sant’Angelo.

Visitar essa cidade com certeza é sinônimo de poder conhecer construções seculares belíssimas que resistiram à ação do tempo. Com esse Castelo não é diferente.

Construído pelo imperador Adriano inicialmente para servir de mausoléu para sua família, esse lugar nunca chegou a servir de túmulo para ninguém.

Desde sua inauguração, em 135 d.C., de  lá para cá o castelo teve várias utilidades como Residência papal, guardou o tesouro do Vaticano e também funcionou como forte e prisão militar.

Castel SantAngelo

Dá para ver a Cúpula da Basílica de São Pedro.

Dá para ver a Cúpula da Basílica de São Pedro.

Castel Sant'AngeloO local passou a se chamar Castelo de Sant’Angelo apenas em 590 d.C., quando o então Papa Gregório afirmou ter tido uma visão do Arcanjo Miguel anunciando o fim da grande epidemia de pestes que atingia a Itália na época. Por conta desta visão o Papa mandou instalar uma enorme estátua do anjo bem no alto do castelo. Dá para ver de longe e é muito bonito.

Atualmente o castelo funciona como um museu, abrigando coleções e exposições de arte. Nosso hotel ficava ali pertinho e passávamos por ele quase todos os dias e fomos postergando a subida até o topo do prédio. Resultado: não subimos! Mas a viste de fora mesmo já é absurdamente linda.Castel Sant'Angelo

Castel SantAngelo

Vista Castel SantAngelo
Durante a noite e aos finais de semana feiras funcionam em frente ao castelo. Frutas, flores, souvenirs, roupas e até livros são vendidos. Ótima opção para passear.

Quer saber mais sobre a Itália? Clique aqui para ver um índice com TODOS os posts publicados no blog sobre esse país lindo! 

Fundos do castelo.

Fundos do castelo.

 

Ponte de Sant'Angelo.

Ponte de Sant’Angelo.

Ponte Sant'Angelo

Foto: Emanuelle Rigoni

Foto: Emanuelle Rigoni

É isso pessoal! Não se esqueçam de comentar os posts, isso ajuda o blog a ganhar vida, me orienta sobre as preferências de vocês e me estimula, pois a cada comentário fico muito feliz! Você também pode acompanhar a gente no Facebook e Instagram