Quer viajar para a Europa e não sabe por onde começar? Esse post é pra você!

Você quer muito viajar pela Europa mas não sabe o que fazer? Acha que vai ter que vender o irmão mais novo para conseguir bancar um pulo no Velho Continente ou não tem a mínima idéia do que precisa fazer para botar a mochila nas costas e partir?? Então chega mais que esse post é para você, amigão!

IMG_1950Muitos leitores e amigos me procuram com perguntas do tipo: “Quanto custa uma viagem para a Europa?”, “Eu não falo inglês, como vou viajar?” ou ainda “Que cidades eu visito?”. Eu sei e entendendo que quando o assunto é novo queremos respostas diretas, mas para essas três perguntas a minha resposta é sempre a mesma: depende!

Depende de quanto você pode e quer gastar, depende do quanto você consegue se virar com o inglês básico da escola e depende do seu sonho! Isso mesmo, do seu sonho

Iara, onde eu tiro o visto??
Não é preciso de visto para entrar na Europa, ainda assim você precisa parar na imigração para carimbarem o seu lindo passaporte, pois a permissão de permanência é concedida na hora. O que? Você não tem passaporte?? Não mesmo?? Então corre lá no Site da Polícia Federal, preenche o formulário online, pague a guia de R$156,07 e agende sua visita ao posto da PF mais próximo. Se você já tem, pega ele aí e dê uma olhadinha na data de validade! Agora o passaporte deve ter, no mínimo, três meses de validade após a data da volta para o Brasil. Sim, estão barrando muuuuitos desavisados por lá!

E vou ter que tomar vacina?
É preciso que você tenha tomado a vacina contra  Febre Amarela, mas se você estiver com seu cartão de vacinação em dia, fica mais fácil! Leve ele até um posto da Anvisa para fazer o Certificado Internacional de Vacinação ou Profilaxia (CIVP)! O CIVP é um documento que comprova a vacinação contra a febre amarela e / ou outras doenças e é exigido por alguns países (Entre eles a Europa), como condição para a entrada de um viajante.

Dinheiro, Iara! Quero saber do dinheiro!
De uma maneira geral você pode gastar em média R$ 7 mil por pessoa para passar 15 dias na europa. Sim, esse valor inclui passagem, hospedagem, alimentação e eventuais transportes.  Como respondi, tudo DEPENDE da sua forma de viajar!

Em um exemplo simples: você pode se hospedar em um hotel qualquer em Londres, que vai te dar uma cama e um banheiro (convenhamos que é o essencial), mas você também pode acordar, abrir a janela e ver a London Eye! É claro que você pagará (bem) mais só para ter essa vista! Agora te pergunto: se é o seu SONHO ter uma vista privilegiada de Londres, você ligará em pagar caro por uma ou duas noites? É esse balanço que só você pode fazer!

Hoje as passagens de ida e volta para a Europa custam cerca de R$ 1.800 (saindo de SP). É claro que esse valor pode ser maior ou menor, tudo depende do período que você quer ir e também da sua sorte de pegar uma promoção boa!

Depois das passagens, você terá um gasto mínimo de cerca de 60 euros por dia entre alimentação, transporte e visitas à atrações turísticas (há muita coisa de graça, pesquise!). Mas, eu acho esse cálculo um pouco furado! Você pode e deve economizar bastante, mas não fique refém desse valor diário! Não estou mandando você sair comprando tudo, mas o arrependimento de não ter feito algo é maior quando voltamos pra casa, acredite!

Dica final: você também pode gastar menos (com as promoções que ando vendo) que os R$ 7 mil iniciais, mas também pode gastar 15, 20 ou até 30 mil reais. Tudo DEPENDE do seu bolso!  Então coloque tudo na ponta do papel e estimule um mínimo e um máximo para o que você pode pagar. Lembrando que existem alguns extras como o souvenir do cunhado, aquela camiseta bacana ou até alguma pequena emergência (a calça rasgou, o sapato furou e etc).

Posso tirar uma semana de folga e ir??
Criatura, olha só… é a primeira vez que você está indo conhecer este continente! Você vai passar umas 15 horas dentro do avião na ida e na volta, ou seja, mais de um dia inteiro, vai atravessar um OCEANO para chegar lá e você vem me dizer que quer passar uma semana? Não nééé?!!!!

Acho que o mínimo tem que ser 15 dias. Porque falando bem sério: você vai gastar seu dinheiro, vai passar um tempão no avião e seis dias (porque um é viajando) é pouco tempo para valer tanto esforço!

Para entrar na Europa, o passaporte deve ter, no mínimo, três meses de validade após a data da volta para o Brasil.

Ok, você já me convenceu de que viajar nem é tão caro quanto eu pensava, mas quais as cidades que devo visitar? Heim? Heim?
Já notou a quantidade de vezes que eu usei a palavra ‘depende’ nesse texto? Então, depende! Em primeiro lugar veja quantos dias você vai passar no velho mundo Em segundo defina uma prioridade: Se o seu sonho é conhecer o Muro de Berlin, não é para Paris que você vai, né?? E este será o ponto de partida para o seu roteiro. Escolhendo um lugar chave, você pesquisa e vê o que tem em volta. Lembrando que na Europa é quase tudo pertinho!

A conta é simples: Se você vai passar 15 dias, escolha umas 6 cidades para conhecer. Mas, se for ficar de 25 a 30 dias, pode estender beeeeeem essa lista e colocar até umas 17 cidades (Atenção sempre nas distâncias).

Claro que é nem preciso te lembrar de que você precisa aproveitar bem as cidades. Você até pode conhecer 17 cidades em 30 dias, mas quanto tempo vai passar em cada uma delas? Muitas vezes “Menos é mais” e conhecer BEM poucas cidades  é melhor do que conhecer o MÍNIMO de muitas cidades. Novamente: é só você que pode escolher o que é melhor para a SUA viagem”

Oi? Você tá falando em 17 cidades?? Vou como chegar em tanto lugar??
Simples: Avião, trem ou carro. Pode escolher! As companhias de trem e avião vira e mexe fazem promoções com ótimos preços, mas você também tem que levar em conta o seu tempo disponível (viajar de trem é mais rápido que avião). Geralmente os aeroportos europeus ficam bem distantes da cidade, o que faz com que você perca algumas horas entre deslocamento e check-in. Já as estações de trem são muuuuuuuuito bem centralizadas. Então na hora da compra faça o cálculo tempo x dinheiro.

No meu caso, sempre que podemos alugamos carro. Já viajamos de trem e foi ótimo, rápido e sem stress, mas nada dá tanto prazer quanto poder parar em qualquer lugar a qualquer hora!

Releve o péssimo enquadramento da foto, ok?

Tá, e se eu alugar um carro, posso dirigir com a CNH aqui do Brasil?
Você até que pode, mas ter a Permissão Internacional para Dirigir (PID) diminui as chances de um policial chato encrencar com a sua Habilitação brasileira. A PID é o principal documento para conduzir carros fora do Brasil e é aceita em mais de 100 países. Ela é retirada no Detran e possui um valor diferente em cada estado que varia entre R$ 40 e R$ 192. Ela possui a tradução da sua habilitação para várias línguas.

Até hoje, nunca precisamos apresentar a PID, mas o seguro morreu de velho, não é mesmo?

Hotel, Hostel, pousada ou banco de praça…. onde eu vou dormir, dona Iara?
Reparou que eu não descrevi os valores  do Hotel lá junto com a passagem? Então, este é o mais subjetivo de todos! Há ferramentas como o BookingDecolar e TripAdvisor para que você possa escolher onde vai dormir. Vai depender muito do máximo (ou mínimo) que você pode gastar.

Mas fique tranquilo que há Hostels com diárias de 20 euros, hotéis médios com diária de 70 e os luxuosos que bom, são beeeem caros!

Meu inglês é da escola, como vou fazer?
Olha, meu inglês não é lá muita coisa também, confesso. Mas se você consegue pedir água, comida, perguntar onde fica tal coisa e apontar com o dedo, já dá para se virar! Mesmo! Baixa alguns materiais da internet, dê uma estudada um tempo antes… não é o fim do mundo.

minha cara ao ver a "carne" depois de 9 dias de viagem!

Tô preocupado mesmo é com a comida! O que tem lá pra comer??
Fica sussa! Uma refeição decente (e não tô falando de arroz e feijão, heim?) custa uns 15 euros, em média. Mas, se você já vai com orçamento apertado, escolha uma refeição boa/completa por dia e nas outras opte por lanches. A comida de rua é bem presente em toda Europa.

Se você é do tipo carnívoro e precisa de um bife acebolado todo dia, aí você tá perdido, meu amigo! Carne na Europa costuma ser bem caro! Caro do tipo, um bife com batata frita vai te custar uns 30 euros!!! o.O
PS: Na primeira vez que fui senti muita falta de comer carne. Isso melhorou quando eu descobri os restaurantes italianos que costumam não ser tão caros quanto os bifes argentinos (bolonhesa, YEAH!).

Bom, já escrevi demais! Alguma coisa ficou sem resposta? Você tem mais dúvidas? Manda pra gente no comoserrosaprendi@gmail.com que juro que vou tentar te ajudar!  Lembrando que o valor que eu citei é uma estimativa e que serve como BASE dos gastos né?? Isso não quer dizer que sua viagem vai custar 7 mil, e sim um valor que é possível de se fazer! E todas essas dicas, bem, são dicas né gente? São todas baseadas nas MINHAS experiências… com o tempo cada um desenvolve uma maneira de viajar!

É isso pessoal! Não se esqueçam de comentar os posts, isso ajuda o blog a ganhar vida, me orienta sobre as preferências de vocês e me estimula, pois a cada comentário fico muito feliz! Você também pode acompanhar a gente no Facebook e Instagram

 

24 horas em Londres

Best sunset! Não tem nenhum filtro nessa foto, juro! (Foto: Iara Vilela)

Best sunset! Não tem nenhum filtro nessa foto, juro! (Foto: Iara Vilela)

Eu sou do tipo de pessoa que sempre acha que não aproveitou bem o tempo durante as viagens. Me fica a sensação de que não olhei o suficiente para as praças, ruas e pessoas. E nesse caso, acho que nem posso dizer que conheço Londres. Todos aqui já sabem que sou “a louca dos roteiros”, mas sempre que planejo uma trip, não penso apenas na quantidade de lugares a ir. Eu tento equilibrar esse desejo de conhecer e explorar tudo com o tempo que é suficiente para aproveitar o lugar sem ter que cronometrar a visita. Agora imagine ter apenas 24 horas para aproveitar Londres?

Tudo começou quando houve uma greve geral (de um dia) por toda a Europa em novembro do ano passado. Contei aqui no blog que fomos surpreendidos quando não conseguimos comprar passagens de Bruxelas para Londres e assim tivemos que passar mais tempo na Bélgica já que a greve afetou todos os meios de transporte europeus.
A troca da Guarda. (Foto: Iara Vilela)

A troca da Guarda. (Foto: Iara Vilela)

Imprevistos acontecem e com a gente não poderia ser diferente né?! Com a nossa sorte, uma greve geral na Europa só poderia acontecer justamente quando mais precisávamos de um meio de transporte!

Depois de passarmos mais tempo que o planejado, saímos da estação de trem de Bruxelas por volta das seis da manhã e quando finalmente chegamos em Londres, só tínhamos aquele dia para conhecer a cidade, pois no outro dia bem cedo seguiríamos para a Irlanda (as passagens já estavam compradas).

Eu e o Eberson (marido) ficamos em um hotel bem no final do Hyde Park e o Leonardo ficou em um hotel logo no início do parque. Combinamos de nos encontrar próximo ao hotel em que o Leo estava após fazer check-in no nosso, assim poderíamos economizar tempo.

Como se fosse pouco ter 24 horas para conhecer a cidade, nós não sabíamos o tamanho do Hyde e tivemos a brilhante idéia de atravessar o parque a pé. Pensamos: “vamos andando e aproveitamos para conhecer o parque que não deve ser muito grande”.

Ledo engano, o Hyde Park é enorme! Nós andamos, andamos e nada de ver o final do parque. Dentro do Hyde tinha aqueles guardas com uns cavalos, juro que faltou pouco para eu pedir uma carona pra eles… ha ha.

London eye! (Foto: Iara Vilela)

London eye! (Foto: Iara Vilela)

Acho que demoramos quase uma hora para atravessar o parque inteiro. Depois disso, encontramos nosso companheiro de viagem e aí sim o ‘tour’ por Londres começou. Como sempre, optamos por fazer tudo a pé, mesmo que com isso tivéssemos que riscar alguns lugares do nosso roteiro. E riscamos um monte.

Começamos pelo Palácio de Buckingham e coincidência (e um pouco de sorte) chegamos bem na hora da troca da Guarda, que acontece todos os dias as 11h30. É muito interessante ver os famosos soldadinhos, mas, o lugar estava tão, mas tão lotado que nem acompanhamos toda a cerimônia. Uma das coisas mais legais é que a banda da Guarda toca várias músicas atuais e divertidas. Eles estavam tocando o tema do James Bond e Katy Perry quando passamos por lá.

Continuamos andando e chegamos na Abadia de Westminster que é linda. Também passamos pelo famoso Big Ben e London Eye, que me encantou. É claro que não poderíamos deixar de conhecer os famosos Pubs londrinos, por isso, entre um monumento e outro parávamos em um pub. Durante nosso city tour expresso, continuamos costeando pelo famoso rio Tâmisa, passamos pela London City, onde ficam prédios super modernos como o The Gherkin (aquele que parece uma bala) até chegar na Tower Bridge. De lá começamos o caminho de volta.

O Big Ben e todo o charme de Londres (Foto: Iara Vilela)

O Big Ben e todo o charme de Londres (Foto: Iara Vilela)

Ainda quero voltar a Londres com (muito) mais tempo. Sentir o clima da cidade, andar sem muita pressa, conhecer mais lugares e aproveitar melhor essa cidade histórica e tão linda. Ainda quero conhecer o interior da Inglaterra, que me parece ser ainda mais encantador do que Londres. Mas, no final do dia e mesmo tendo pouco mais de 24 horas para “conhecer”a cidade, valeu a pena. Tive ótimos momentos, comi e bebi muito bem. #Dica da Iara: Uma dica que posso dar para quem vai viajar para Londres é apreciar um pôr-do-sol espetacular ao lado da London Eye. É mágico acompanhar o sol caindo e deixando tudo amarelinho. Vale a pena.

É isso pessoal! Não se esqueçam de comentar os posts, isso ajuda o blog a ganhar vida, me orienta sobre as preferências de vocês e me estimula, pois a cada comentário fico muito feliz! Você também pode acompanhar a gente no Facebook e Instagram

#Wanderlust