Saiba como garantir ingressos para ver a famosa pintura “Última ceia” de Leonardo da Vinci em Milão

A “Última Ceia” é um afresco pintado pelo incrível Leonardo da Vinci, e acho que é a imagem mais reproduzida do mundo todo! É impossível que você nunca a tenha visto, isso se na casa da sua avó ou de seus pais não tiver a reunião de Jesus com seus apóstolos pendurada bem no meio da sala.

Mas o que muita gente não sabe é que essa, que é uma das obras de arte mais famosas do mundo, fica no convento de Santa Maria delle Grazie, em Milão e que é possível sim vê-la bem de pertinho.

Os ingressos são vendidos online e também por telefone e a venda é liberada com três meses de antecedência (janeiro abre venda para abril e assim por diante). A principal dica que posso dar aqui é garanta seu ingresso com antecedência, pois eles se esgotam numa velocidade absurda e é praticamente impossível comprar seu ticket na hora.

Mas também pudera, há um número super limitado de visitantes diários que podem adentrar ao salão onde a Última Ceia está exposta (na verdade é pintada na parede). O tour pode ser guiado ou não e dura cerca de 15 minutos. Fotos são permitidas, desde que não se use o flash.

Eu adorei conhecer mais esse pedacinho da história. São apenas 15 minutos, mas é tempo suficiente para olhar cada cantinho dessa obra de arte.

Serviço: A Última Ceia fica na Piazza Santa Maria delle Grazie, 2 e fica aberto de terça a domingo das 8h15 às 19h. Dá pra ir de metrô e tem placas orientando até o local.

É isso pessoal! Não se esqueçam de comentar os posts, isso ajuda o blog a ganhar vida, me orienta sobre as preferências de vocês e me estimula, pois a cada comentário fico muito feliz! Você também pode acompanhar a gente no Facebook e Instagram

Conheça a Igreja San Bernardino alle ossa e seu ossário que fica pertinho da Duomo de Milão

Milão mescla o antigo com o moderno como nenhuma outra cidade italiana. De um lado, os últimos lançamentos da moda. Do outro, prédios históricos e igrejas centenárias como a San Bernardino alle ossa!

A San Bernardino alle ossa é a igreja da esquerda.

A diferença entre a San Bernardino e as igrejas comuns, é que a San Bernardino talvez seja um tanto quanto mórbida, já que há um ossário em uma de suas galerias. É isso mesmo que você está imaginando: uma capela completamente revestida com ossos humanos!

Eu fiquei me perguntando porque essa igreja é pouco explorada pelos turistas, já que fica bem no centro de Milão e bem pertinho da Duomo (sério, menos de 5 minutos de caminhada). Só descobri esse lugar super diferente depois que vi um snap da Magê, do blog Milão nas Mãos e lógico que anotei no meu bloquinho para quando voltasse à cidade.

A igreja
O turista mais desavisado que passar em frente à San Bernardino alle ossa nem de longe vai imaginar que ali existe um ossário. Com sua fachada simples, até mesmo se a pessoa der uma espiada pela porta da frente, provavelmente não vai achar nada demais.

É apenas ao entrar e seguir por um estreito e curto corredor que fica do lado direito é que se tem acesso à capela. Fomos bem cedo e ficamos esperando o ossário abrir, o que aguçou a curiosidade. Confesso que eu não parava de pensar que será que havia por trás daquela pesada porta de madeira.

E ao entrarmos posso dizer que o ossário superou a expectativa, pois ainda que mórbido, o lugar é muito bonito.

A história
A princípio o ossário foi criado apenas como uma “Sala Mortuária” por volta de 1200 quando já não havia mais espaço em um cemitério da região e o antigo Hospital Brolo já não tinha onde enterrar os pacientes que ali morriam.

Algumas décadas depois uma igreja foi construída bem ao lado e a sala foi incorporada e transformada em capela. Porém foi apenas em 1676 que a capela foi restaurada e os ossos reorganizados dessa maneira que podemos ver ainda hoje.

A San Bernardino alle ossa fica na Via Verziere, 2 (muito, muito, mas muito próxima da Duomo) e funciona de segunda à sexta das 8h às 12h e das 13h30 às 18h. Aos sábados e domingos fica aberta das 9h às 12h30.

É isso pessoal! Não se esqueçam de comentar os posts, isso ajuda o blog a ganhar vida, me orienta sobre as preferências de vocês e me estimula, pois a cada comentário fico muito feliz! Você também pode acompanhar a gente no Facebook e Instagram

Flutuação no Rio Triste e Aquário Encantado: natureza incrível e intocada em Nobres, MT

Oi, gente! Sou a Manu, colaboradora especial do blog e a partir de hoje vou aparecer sempre por aqui não só para contar histórias e dicas de viagem, mas também para mostrar para vocês os lugares para onde viajo sob uma perspectiva diferente: a partir do meu olhar e da minha sensibilidade como fotógrafa profissional. Então espero que gostem de tudo! Ah! Me sigam nas redes sociais @manurigoni 😉

Sou catarinense (“barriga verde”), mas moro em Cuiabá há 9 anos e esse estado tem MUITO para mostrar. Meu primeiro post é sobre Nobres, uma cidade que fica 190km distante de Cuiabá/MT. Por lá fizemos a flutuação no Rio Triste e conhecemos o famoso Aquário Encantado.

Com parte da família nos visitando, aproveitamos para conhecer Nobres nos últimos dias do ano. Dezembro é verão, logo é época de chuva em Mato Grosso e por isso não é lá a melhor época para se andar na mata. Mesmo assim fomos!

Além da família também estávamos em uma turma boa de amigos (vieram de Santa Catarina e ouviam de lá falar sobre Nobres). Assim como a maioria das pessoas, eles também comparam Nobres com Bonito, que fica em Mato Grosso do Sul. Mas gente, apesar de as atrações naturais serem semelhantes, é bem diferente. Bonito é muito mais estruturado, mais fácil de chegar e também tem “mais anos de experiência” no turismo. Já Nobres é um pedacinho de paraíso pouco explorado e ainda em processo de “desbravamento”.

Como chegar
Pode-se chegar de carro ou van até Bom Jardim, distrito de Nobres, onde ficam as pousadas e restaurantes próximos aos principais pontos turísticos. Preferimos ir de carro para podermos parar onde bem entender para fotografar, além de estarmos com crianças na turma (mais para frente conto como é o passeio com elas).

Dias antes do passeio entramos em contato com a Agência e reservamos as entradas. Só de ver as fotos deles nos apaixonamos na hora! Fomos até Nobres apenas para validar a compra na agência e de lá partimos para o Aquário, que conta com um restaurante bem próximo.

Uma dica bacana é que lá você pode alugar câmeras que suportam a água. Eu, como uma fotógrafa que se preze, aluguei uma e fiz fotos e vídeos da turma. Sério, vale muito à pena! Pagamos R$ 50 no aluguel.

Deixamos para ver outros passeios na hora, o que foi uma péssima ideia, pois ficamos somente com a flutuação no Rio Triste e o Aquário Encantado. Queríamos muito conhecer a cachoeira, mas não havia mais vagas na turma com o Guia. Ah! A propósito: todos os passeios são feitos com guias e é super importante reservar tudo com antecedência!

O passeio
A primeira parada (ou fase 1, como eu prefiro chamar haha), foi no Aquário Encantado. Para chegar lá você anda um pouquinho mata adentro, e aqui a dica mais valiosa é: use filtro solar e repelente. Bastante repelente!

Todos devidamente com seus coletes de flutuação, nos colocaram na água (colocaram mesmo, é fila indiana). É um lugar cheio de peixes e que você custa a entender e a acreditar naquela água cristalina e como o próprio nome diz, é realmente um aquário e você se sente dentro de um, mesmo! haha

Os guias explicam e ficam de olho para você não encostar nas paredes/chão, pois suja a água que é muito transparente. A gente sabe que é pelo cuidado de toda a galera que trabalha duro no Aquário e nos outros pontos que locais como esses continuam preservados.  Lógico que aproveitamos para fazer inúmeras fotos, vídeos, poses.

O aquário é realmente muito lindo e surpreendeu todo mundo, tanto que ficamos quase uma hora boiando e curtindo a natureza.

Depois daquele tempinho no Aquário, fomos para a Flutuação no Rio Triste. E eu amei demais! O passeio que fizemos teve cerca de 1 quilômetro de flutuação. Daí eu entendi porque é preciso saber flutuar e segurar a respiração, já que apesar de super calmo, o rio é bem fundo em algumas partes.

No final estávamos famintos (aquela história de água dá fome). Voltamos para o ponto inicial, o restaurante. Finalizamos o passeio com um almoço típico da região: muito peixe! Aliás, quer comer peixe bom? Ninguém faz igual ao povo de Mato Grosso.

Preços
Os preços variam de acordo com Agência, duração das atividades, época do ano e até do número de pessoas na turma. Nós pagamos R$ 100 por pessoa, incluso dois passeios (Aquário Encantado e Flutuação no Rio Triste) e almoço com buffet livre. Apesar da estrutura simples, valeu cada centavo!

Parte chata
Agora vem a parte um pouco chata e que só nos avisaram quando chegamos lá no Aquário. Pessoas com medo de água, que não sabem nadar, flutuar ou segurar a respiração, acabaram ficando fora da “Fase 1”. O Aquário é BEM fundo, e só quem passa de “Fase” é que pode ir para a “Fase 2”, que é a flutuação no Rio Triste. Ou seja: quem não conseguiu flutuar no Aquário, foi para o restaurante esperar o restante. Sem contar na grana perdida.

Lembra a parte das crianças no passeio? Então, existe uma idade mínima para que elas possam entrar (lembra da parte flutuar e que não pode encostar os pés no chão?). Estávamos com uma criança de 3 anos e ela também não pôde fazer o passeio. Antes de levar crianças, CONFIRA COM A AGÊNCIA OU GUIA e certifique-se se elas poderão ou não curtir o passeio.

É isso pessoal! Não se esqueçam de comentar os posts, isso ajuda o blog a ganhar vida, me orienta sobre as preferências de vocês e me estimula, pois a cada comentário fico muito feliz! Você também pode acompanhar a gente no Facebook e Instagram